terça-feira, 20 de novembro de 2012

Fisioterapia e Terapia Ocupacional na TUSS: mais uma conquista histórica para a nossa profissão.


No mês de comemoração do dia do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional, mais uma conquista histórica foi garantida pela articulação política do Sistema Coffito-Crefitos em parceria com a Fenafisio e a Agencia Nacional de Saúde Suplementar – ANS. Pela primeira vez na história, o rol de procedimentos da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional foi incluído na Terminologia Unificada de Saúde Suplementar - TUSS. Até essa conquista, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais eram remunerados na saúde suplementar por procedimentos codificados em tabelas médicas.

Com a nova TUSS, a ANS reconhece que os procedimentos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional serão realizados por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais tendo, então, que classificar, codificar e respeitar a regulamentação dos procedimentos próprios dessas profissões. Contemplar esses procedimentos na TUSS representa uma conquista de independência profissional, garantindo a autonomia necessária para avanços nas negociações junto à Organização Panamericana de Saúde.

Na prática, haverá mais agilidade nas negociações dos honorários com as operadoras de saúde, padronização da nomenclatura de atendimentos alinhada à terminologia adotada pela Fisioterapia e pela Terapia Ocupacional e, sobretudo,  a inclusão de diversos procedimentos já executados, antes não remunerados, a exemplo da consulta, do atendimento domiciliar e da consulta hospitalar.

A publicação dos procedimentos fisioterapêuticos e terapêuticos ocupacionais na TUSS representa uma conquista estrutural que se deu a partir do trabalho do Coffito em ações conjuntas da Comissão Nacional de  Honorários com a Federação Nacional de Prestadores de Serviço em Fisioterapia frente a ANS.  Uma conquista da união e do trabalho articulado  do Sistema Coffito-Crefitos e da Fenafisio.

Fonte: COFFITO

Boa notícia! COFFITO normatiza a prática da Espirometria pelo fisioterapeuta.




ACORDAM os Conselheiros do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, reunidos na sessão da 228ª Reunião Plenária Ordinária, em aprovar por unanimidade o parecer jurídico elaborado pelo Procurador Jurídico Vinícius Barros Rezende como forma de Normatização das Técnicas e recursos próprios a respeito da legalidade do profissional Fisioterapeuta na prática da espirometria.


A utilização do espirômetro objetiva a identificação de disfunções funcionais dos pulmões, permitindo aperfeiçoar a elaboração do diagnóstico cinético funcional, ou mesmo uma intervenção resolutiva e precoce do ato fisioterapêutico para melhoria dos parâmetros da mecânica ventilatória, do controle do espasmo brônquico e da desobstrução dos pulmões e traqueia e de ações preventivas a instalação de distúrbios funcionais.


Dentro dessa ordem de raciocínio, denota-se que toda e qualquer tentativa de impedir o profissional Fisioterapeuta da utilização do espirômetro revela-se mais uma frágil tentativa, por parte do Conselho Federal de Medicina, de assegurar uma ilegal reserva de mercado, fundada em uma retrógada interpretação de que o médico é o único profissional da área da saúde capaz de prestar um serviço eficaz à população.


Dentro desse prisma, afirmar que a espirometria não é atribuição do Fisioterapeuta é um posicionamento equivocado e ilegal, não somente pelas questões técnicas apresentadas, inclusive por Associações Especializadas, como, também, por pelos fundamentos jurídicos e legais apresentados.

Diante do acima exposto, entende essa Procuradoria Jurídica pela legalidade do profissional Fisioterapeuta na utilização do procedimento de espirometria para fins de diagnóstico pneumocinesiológico funcional ou respiratória funcional, tendo como fundamento jurídico e legal as normas contidas no Decreto-Lei 938/69, nas Resoluções COFFITO 08, 80, 387 e 400 e na diretriz curricular plasmada na norma do CNE/CSE nº 4. Tais dispositivos legais garantem, de forma clara e precisa, adoção de todo o qualquer método, terapia ou recurso que tenha por objetivo garantir a preservação, manutenção, desenvolvimento e a restauração de órgãos e sistemas biológicos, além do que, não cabe ao Conselho Federal de Medicina ou a qualquer outro Conselho, diante de suas premissas constitucionais, pretender regular ou restringir o exercício profissional de  outros profissionais da área da saúde.


É o Parecer,
Brasília, 10 de agosto de 2012

Assinado pelo presidente e diretor-secretário do COFFITO em:
Brasília-DF, 03 de outubro de 2012


Veja o Parecer na íntegra clicando AQUI




quarta-feira, 1 de agosto de 2012

1 ano de infoFisio


Hoje o infoFisio completa 1 ano no ar, proporcionando mais conhecimento sobre os mais diversificados temas da área da Saúde e da Fisioterapia. Este é o primeiro de muitos anos, vamos continuar compartilhando informações e contando com o apoio de todos os colegas acadêmicos e profissionais de saúde para deixarmos o blog mais completo e alcançarmos cada vez mais espaço.

Agradeço aos meus amigos colaboradores (Amanda, Cris, Giselle, João e Fabrício) que prestam um excelente trabalho aqui no infoFisio e que se dedicam para levarmos o nome da Fisioterapia cada vez mais longe. 

Agradeço também aos colegas e parceiros das redes sociais, que nos ajudam com a divulgação e com o compartilhamento da nossa proposta.

Agradeço à você leitor, que aderiu a essa proposta e continua acreditando no nosso blog, usando-o como ferramenta de pesquisa e conhecimento.

Obrigado, nesse dia de hoje iremos comemorar as parcerias, a amizade e a união em nome da Saúde e da Fisioterapia. 

Vamos celebrar!


Quer saber como foi a entrevista de lançamento do nosso blog? Clique AQUI


Luan César Simões
Fisioterapeuta

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Ministério da Saúde e Facebook fazem parceria para incentivar doação de órgãos



O Ministério da Saúde e o Facebook lançaram nesta segunda-feira (30) uma opção, dentro do perfil dos usuários, para incentivar a doação de órgãos. A funcionalidade tem a missão de agregar e cadastrar possíveis doadores, entre os mais de 40 milhões de usuários no Brasil.
Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a parceria entre Ministério e Facebook permitirá a aproximação do brasileiro com as redes sociais e o Sistema Nacional de Transplantes. “Esta ação permitirá criar mais um espaço para que qualquer cidadão possa compartilhar, com privacidade, entre familiares e amigos, sua decisão de ser doador de órgão”, destacou Padilha.
O Ministério da Saúde utiliza as redes sociais, desde 2009, para se aproximar cada vez mais da sociedade, esclarecendo dúvidas, recebendo sugestões e trabalhando para aprimorar o Sistema Único de Saúde (SUS).

terça-feira, 10 de julho de 2012

Você sabe o que é a Reflexologia??


O que é?

É um método terapêutico, complementar, baseada na anatomia e na fisiologia humana que identifica, previne e trata dos distúrbios orgânicos e dos desequilíbrios emocionais, através de estímulos por pressão manual nas terminações nervosas em pontos específicos dos pés. Essa técnica de pressionar e massagear adotadas na Reflexologia tem por finalidade dissipar os bloqueios de energia e quebrar as estruturas cristalinas já incorporadas. A Reflexologia, incita o corpo a curar-se. Abaixo algumas indicações:

domingo, 1 de julho de 2012

Quando as dores tomam a direção: como prevenir as dores decorrentes da má postura na direção?



Com o desenvolvimento e crescimento sócio-econômico das grandes cidades e com os estímulos fiscais do Governo Federal para a compra de automóveis, estamos vivenciando um momento crítico na nossa sociedade, uma vez que ficamos cada vez mais dependentes dos carros, passando, inclusive, muito tempo no trânsito. Estudos atuais mostram que os brasileiros passam, pelo menos, cerca de duas horas no trânsito. O resultado de tudo isso é que além do estresse e das dores de cabeça causadas pelos congestionamentos, dirigir também pode ser a atividade vilã para as dores na coluna.



sábado, 30 de junho de 2012

'Vacina contra o cigarro' bloqueia a nicotina no cérebro de ratos

Fumantes poderão um dia ser imunizados contra a nicotina para que deixem de sentir prazer com o hábito, segundo pesquisadores nos Estados Unidos.

Os especialistas do Weill Cornell Medical College, em Nova York, criaram uma vacina que leva o organismo do vacinado a produzir anticorpos que atacam a nicotina.

O estudo, feito com ratos de laboratório e publicado na revista científica Science Translational Medicine, mostrou que os índices da nicotina no cérebro dos animais foram reduzidos em 85% após a vacinação.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

COFFITO lança Consulta Pública sobre os NOVOS Códigos de Ética da Fisioterapia e Terapia Ocupacional




Após receber sugestões sobre os Códigos de Ética da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional formuladas pelos Crefitos, o pleno do Coffito propôs minutas de Resolução sobre os referidos Códigos. 

Para balizar e validar a edição de tais documentos, o Coffito abre consulta pública (nº. 02/2012) para que os profissionais fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais dêem suas contribuições para a redação final destes documentos. 


quarta-feira, 6 de junho de 2012

Cuidado com as queimaduras!!






Queimadura é toda lesão provocada pelo contato direto com alguma fonte de calor ou frio, produtos químicos, corrente elétrica, radiação, ou mesmo alguns animais e plantas (como larvas, água-viva, urtiga), entre outros. Se a queimadura atingir 10% do corpo de uma criança ela corre sério risco. Já em adultos, o risco existe se a área atingida for superior a 15%.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Câmara aprova FISIOTERAPEUTA e TERAPEUTA OCUPACIONAL no Saúde da Família - PSF.



A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou na quinta-feira (31) o Projeto de Lei 4261/04, da deputada Gorete Pereira (PR-CE), que inclui fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no Programa Saúde da Família (PSF). O projeto recebeu parecer favorável da relatora, deputada Sandra Rosado (PSB-RN).

A proposta tramita em caráter conclusivo e se no prazo de cinco sessões não houver recurso para análise do Plenário da Câmara, assinado por 52 deputados, será remetido diretamente para o Senado.


sábado, 5 de maio de 2012

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe - 2012



Em todo o país, 65 mil postos de vacinação estarão abertos, neste sábado (5), das 8 horas às 17 horas,para atendimento ao público-alvo: idosos a partir de 60 anos, trabalhadores de saúde, crianças entre seis meses e dois anos, gestantes e povos indígenas. 

domingo, 22 de abril de 2012

A SAÙDE PÚBLICA no BRASIL está uma VERGONHA.





Para saber como anda a saúde pública em nosso país, não é preciso fazer pesquisa na internet não. Entre em um posto de saúde (USB) e repare na maneira como é atendido, nas salas de espera, no estado de conservação e limpeza dos ambientes, na demora para conseguir ser consultado, no diagnóstico médico e na disposição de remédios gratuitos, que nem sempre os serviços públicos possuem em seu estoque.

sábado, 21 de abril de 2012

Mobiliza-te profissional de saúde!!



"Enquanto não lutarmos pelos nossos direitos, direito não teremos, pois seremos um bando de perdidos em busca de uma solução tardia que não mais nos será de direito"

Luan César simões
Fisioterapeuta


terça-feira, 3 de abril de 2012

Fisioterapeuta consciente para um futuro descente!




O blog InfoFisio formulou uma enquete para saber a opinião dos fisioterapeutas sobre a Resolução 387/2011, que fixa os parâmetros assistenciais fisioterapêuticos, isto é, dispõe sobre o número máximo de atendimentos por turno de trabalho nas diversas especialidades da Fisioterapia.

No resultado, impressionou-me o percentual de 47% dos votantes, praticamente a metade, não conhecerem, ou seja, não saberem do que trata a citada Resolução.

Esse número expressivo de fisioterapeutas ou acadêmicos de cursos de Fisioterapia que não tem conhecimento de normatização da assistência fisioterapêutica aponta uma cruel realidade de apatia profissional que circunda a nossa prática, de forma mais específica, da realidade do nosso Estado. Na Paraíba, é inquestionável o crescimento do número de profissionais na última década. Dispomos de mais de dez instituições de formação em Fisioterapia. Atuamos nas diversas aéreas e ocupamos variados espaços terapêuticos. O nosso trabalho é extremamente reconhecido pelos nossos usuários, bem como pelos demais profissionais da equipe multidisciplinar em saúde.

No entanto, nesse cenário profissionalmente próspero, o fisioterapeuta não conhece as bases legais de sua profissão, não reconhece os avanços normativos dos últimos anos, pior, nem os conhece.

Entendo que o mercado de trabalho é individualista e desagregador, mas percebo que conosco o individualismo e a desagregação já estão presentes na formação acadêmica. Formamos técnicos capazes, competentes e preparados para ocupar o seu espaço no mercado de trabalho, mas não formamos, em grande número, fisioterapeutas fortalecedores da Fisioterapia.

O que há conosco? Por que é tão difícil reconhecer a nossa identidade enquanto trabalhadores em saúde?

Vivemos um tempo em que não se reconhece a necessidade e a importância do fortalecimento das representações profissionais. Experimentamos a crítica não-construtiva e a concorrência desagregadora. Entendo que o momento é de resgate e agregação, de uma energia inovadora que nos impulsione não apenas para frente, mas também para cima.

Que sejamos uma profissão reconhecida pela força e compromisso dos nossos fisioterapeutas com e para a Fisioterapia.


Iara Lucena
Conselheira do Crefito1 na Paraíba

domingo, 25 de março de 2012

A Síndrome de Down e o pré conceito: De Kalil em Kalil um dia a gente aprende


          

        Há algumas semanas me deparei com a seguinte notícia em todos os jornais, sites e redes sociais “Jovem Portador de Síndrome de Down é Aprovado no Vestibular da Universidade Federal de Goiás” e fiquei pensando se tal notícia seria uma maneira apenas de informar à população sobre a capacidade dos portadores de Down ou se uma forma de demonstrar o nível de desconhecimento (e surpresa) e até de preconceito da população em geral sobre os portadores desta síndrome.

            O primeiro passo para reverter a atual situação seria informar às pessoas sobre o que é a Síndrome de Down (SD). Todos nós temos em nosso DNA, pares de componentes genéticos chamados de cromossomos numerados de 1 a 23, os quais possuem as nossas características físicas, intelectuais e etc. De maneira simples podemos dizer que a SD é gerada devido a um erro genético produzido pela presença de um cromossomo de número 21 a mais, ou seja, em vez de termos um par cromossômico, temos uma trissomia. Esse distúrbio ocorre, em média, em 1 a cada 800 nascimentos, não distingue raça, cor ou classe social e tem maiores chances de ocorrer em mulheres que engravidam quando estão mais velhas.

           Os olhos amendoados, a face achatada, o pescoço curto, os dedos das mãos menores e o maior relaxamento muscular são características comuns. A possibilidade de ter doenças associadas – como problemas cardíacos e respiratórios, alterações auditivas, de visão e ortopédicas – também está presente nesses indivíduos.

          A síndrome de Down é diagnosticada logo após o nascimento pelo pediatra que analisa as características físicas comuns à síndrome, entretanto, a SD pode ser diagnosticada ainda durante a gestação por meio do exame genético, realizado por um especialista. Não existem graus da Síndrome de Down, porém o ambiente familiar, a educação e a cultura em que a criança está inserida influenciam muito no seu desenvolvimento, ampliando as possibilidades dessa criança evoluir sem grandes dificuldades.

        Os portadores da Síndrome de Down apresentam sim um atraso no seu desenvolvimento motor e pode apresentar déficit cognitivo de leve a moderado, porém, o que poucos sabem é que essas alterações não impedem eles de terem uma vida normal. Sim, as crianças com Down podem e devem freqüentar escolas regulares; os adolescentes podem ter uma vida social normal e os adultos podem estudar, trabalhar e casar-se, por exemplo.

O Kalil Assis Tavares é um jovem de 21 anos e mostrou ao Brasil e ao mundo a potencialidade dos portadores da Síndrome de Down. Assim como qualquer pessoa “normal” que teve oportunidade de ter uma educação digna, ele foi capaz de ser aprovado no vestibular de uma universidade federal.

           O que me chama a atenção nessa história não é o fato dele ter alcançado o objetivo de muitos jovens brasileiros que se esforçam e buscam uma vaga numa universidade pública, mas sim o desconhecimento das pessoas e que em pleno século XXI ainda é possível perceber o preconceito da maioria delas diante do diferente, do desconhecido. As pessoas julgam sem conhecimento, investem em um “achismo” baseado no nada, ou fundamentado no arcaico entendimento anterior ao século XIX, quando pais e professores não acreditavam na possibilidade da alfabetização e esses portadores de SD eram rotulados como doentes e, portanto, excluídas do convívio social.

        A Síndrome de Down não pode continuar sendo interpretada como retardo mental, apesar dos portadores apresentarem um déficit cognitivo variável, isso não os impede de ter uma vida totalmente normal. Mas o que é normal? O normal é uma designação inespecífica, subjetiva e altamente sujeita ao erro, principalmente quando interpretada por pessoas equivocadas ou extremamente preconceituosas. Não se pode admitir discriminar, admite-se incluir. Os portadores da Síndrome de Down precisam sentir-se acolhidos socialmente, não como pessoas “especiais”, mas como cidadãos inteligentes, dignos, politicamente ativos e críticos, envolvidos numa sociedade banalizada e pronta para indevidas rotulações e ausente no seu papel de sociedade acolhedora. Sim, os portadores da Síndrome de Down são especiais, não por nada, mas por representarem uma luta constante contra o preconceito e a injustiça!
           

Supervisão de texto:
Luan César Simões


segunda-feira, 19 de março de 2012

Método Pilates: Uma breve fundamentação teórica



Há alguns anos atrás a expressão inglesa fitness era utilizada para definir atividades que desenvolviam corpos perfeitos, desempenho e aptidão física. Hoje, essa denominação ainda é utilizada, porém a expressão atual é Wellness ou, em português, qualidade de vida que engloba diversos fatores que trabalham em conjunto para o equilíbrio entre saúde mental e física do indivíduo proporcionando-lhe uma vida mais saudável.

Nesse contexto, o método Pilates encaixa-se perfeitamente, pois se trata de uma atividade física que utiliza um sistema de exercícios que adere condicionamento físico e mental promovendo o equilíbrio entre corpo, mente e espírito. O método, criado pelo autodidata alemão Joseph Humbert Pilates no inicio do século XX, utiliza-se de seis princípios básicos que tornam o método um grande diferencial em relação a outras atividades e no tratamento de afecções da coluna, como hérnia de disco e a lombalgia.

Os princípios são: 1. Centralização ou Power House (casa de força) que é composta por músculos do tronco que se localizam entre as cinturas escapular e pélvica como transverso do abdômen (TRa), abdominais, glúteos, assoalho pélvico (MAP), entre outros, de onde os movimentos devem se iniciar e fluir para as extremidades; 2. Concentração nos movimentos e músculos que o expressam de modo a estabelecer a conexão mente-músculo aumentando o recrutamento de unidades motoras; 3. Precisão aliada ao princípio anterior permite, ao máximo, o aproveitamento dos benefícios de cada exercício; 4. Controle une centralização e concentração resultando no controle total do movimento. Não foi a toa que Joseph inicialmente batizou seu método de contrologia; 5. Respiração, princípio essencial, inala-se profundamente pelo nariz expandindo a caixa torácica ântero-lateralmente e expira-se pela boca de forma forçada ao mesmo tempo em que se realiza uma contração abdominal; 6. Fluidez do movimento indica movimentos realizados de forma dinâmica sem intervalo e de forma harmoniosa exprimindo graça aos padrões de movimento.


Esses princípios devem ser seguidos durante a atividade junto a fundamentos básicos como olhar no horizonte, organização escapular, alinhamento axial da coluna vertebral e neutralização da coluna, ou seja, preservando suas curvaturas fisiológicas. Com relação ao número de repetições dos exercícios, são executados de forma lenta e com poucas repetições. No mínimo seis e no máximo doze, prezando assim pela qualidade dos exercícios e não pela quantidade. O próprio Joseph H. Pilates dizia “Poucos movimentos bem feitos realizados de forma correta e equilibrada valem por muitas horas de ginástica”.

 A respiração correta e a coluna lombar neutra são peças chave para a estabilização desse segmento da coluna. Quando se expira realizando uma contração abdominal o músculo transverso do abdômen é ativado. O assoalho pélvico potencializa sua contração e por ação coativadora ativa um importante músculo tônico estabilizador da coluna chamados multífidus (Mt) estabelecendo assim um circuito Tra - MAP - Mt proporcionando a estabilização do compartimento lombo-pélvico prevenindo lesões a coluna durante os exercícios.

Os benefícios da prática desta atividade são infindos, cada indivíduo possui particularidades diferentes e exalta benefícios afins. No geral são observados avanços no controle postural, estabilidade vertebral, concentração, equilíbrio, coordenação motora, consciência corporal, circulação e oxigenação sanguínea, alívio da tensão muscular, atenuação do estresse e ansiedade, e alívio de dores. Além disso, há melhora no desempenho sexual pelo fortalecimento dos MAP que são recrutados durante os exercícios. Tratando-se da musculatura fásica o principal objetivo do método não é alcançar grandes níveis de hipertrofia, mas sim estabelecer um equilíbrio neuromuscular onde a musculatura passa a ser forte, tonificada e flexível ao mesmo tempo.

No Brasil os profissionais que podem exercer o método são educadores físicos e fisioterapeutas sendo antes necessária a aprendizagem do método em cursos de formação para instrutores de Pilates. O fisioterapeuta passa a ter nas mãos um trunfo para associar os conhecimentos aprendidos na graduação ao método pilates objetivando a prevenção de patologias, manutenção da saúde e especialmente a reabilitação de diversas lesões. É possível adaptar o método para populações especiais com Parkinson, esclerose múltipla, fibromialgia, afecções na coluna e alterações posturais, pós - operatório de cirurgias no joellho, atletas, pacientes com câncer, gestantes, idosos, diabéticos, etc. transmitindo-os vantagens adicionais como, por exemplo, prevenção da osteoporose em idosos pelo aumento da densidade óssea, preparação para o parto através do fortalecimento da MAP e melhora nos níveis de glicose no sangue para os diabéticos.

O método pode ser praticado por todas as pessoas a partir dos sete anos de idade. Normalmente quem passa a fazer parte do universo do Pilates se apaixona e não quer mais abandoná-lo. Ainda, a diversidade dos exercícios praticados nos aparelhos, solo e com auxílio de acessórios como faixa elástica, bola, círculos e rolos não permitem que a prática entre na monotonia ao fazer o praticante deparar-se com algo novo a cada aula. Atualmente pesquisas científicas têm avançado nessa área para provar todos os benefícios mencionados anteriormente, mais ainda há muito a aprender e não faltam objetos de estudo para os profissionais que tem interesse em realizar pesquisas para aprimorar seus conhecimentos e contribuir com o meio científico.  


“Se aos 30 anos você está sem flexibilidade e fora de forma, você é um velho. Se aos 60 anos você está flexível e forte, você é um jovem”
 (Joseph H. Pilates)




















Supervisão de texto: 
Luan César Simões.






segunda-feira, 12 de março de 2012

Dengue, ai se eu te pego!



O que é a dengue?
A dengue é uma doença grave transmitida pelo mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. A doença é acometida de febre aguda que se caracteriza por um início repentino, permanecendo por 5 a 7 dias. 
O que se sente?
O doente apresenta dor de cabeça intensa, dores nas articulações e musculares, seguidas de erupções cutâneas 3 a 4 dias depois. Surge sob a forma de grandes epidemias, com grande número de casos.
Existe quantos tipos de dengue?
Existem quatro tipos diferentes de sorotipos do vírus do dengue, denominados dengue 1, 2, 3 e 4. Algumas manifestações do dengue são hemorrágicas, isto é, o paciente apresenta hemorragia severa e choque. Nestes casos, após um período de febre, o estado do paciente piora repentinamente, com sinais de insuficiência circulatória, apresentando pele manchada e fria, lábios azulados e, em casos graves, diminuição da pressão do pulso. Instala-se então uma síndrome de choque do dengue podendo levar o paciente ao óbito. Os casos de dengue hemorrágico ocorrem mais freqüentemente quando o paciente é acometido pela segunda vez da doença, mas com exposição a diferentes sorotipos da doença.
A dengue pode matar?

A dengue é responsável por cerca de 100 milhões de casos/ano e põe em risco uma população de cerca de 2,5 a 3 bilhões de pessoas. A doença apresenta taxa de mortalidade de 10% para pacientes hospitalizados e de 30% para pacientes não tratados. A dengue é endêmica de regiões tropicais como o sudeste asiático, sul do Pacífico, África Oriental, Caribe e América Latina.

Como ocorre a transmissão?


A sua transmissão ocorre pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti ou Aedes albopictus (ambos da família dos pernilongos) infectados com o vírus transmissor da doença. A transmissão nos mosquitos ocorre quando ele suga o sangue de uma pessoa já infectada com o vírus da dengue. Após um período de incubação, que inicia logo depois do contato do pernilongo com o vírus e dura entre 8 e 12 dias, o mosquito está apto a transmitir a doença.

Nos seres humanos, o vírus permanece em incubação durante um período que pode durar de 3 a 15 dias. Só após esta etapa, é que os sintomas da dengue podem ser percebidos.



Estamos protegidos contra a dengue?



Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil apresenta 48 cidades com risco de viver surto de dengue em 2012, com índices acima de 3,9% de infestação pelo mosquito Aedes aegypti. Dentre os municípios em risco, estão as capitais: Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Cuiabá (MT). As capitais em situação de alerta são Salvador (BA), Recife (PE), Belém (PA), São Luis (MA) e Aracajú (SE).

Veja abaixo o mapa do Ministério da Saúde sobre o risco de dengue para o ano de 2012:



Como posso saber se estou infectado?


Para comprovar a infecção com o vírus da dengue, é necessário fazer a sorologia, que é um exame que detecta a presença de anticorpos contra o vírus do dengue. A doença é detectada a partir do quarto dia de infecção.



É possível prevenir a dengue? Como?

A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.

A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente.

Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Para se ter uma ideia, em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.





Como eliminar de vez o mosquito da dengue?


Pesquisadoras da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de São José do Rio Preto (SP) descobriram que a cafeína é fatal para o desenvolvimento da larva do Aedes aegypti. No estudo, elas verificaram que quanto maior a concentração de cafeína na água parada contida em vasos, ralos e plantas, menor o tempo de vida das larvas. De acordo com as cientistas, foi  registrada uma taxa de mortalidade de 100%. Nenhuma das larvas conseguiu chegar ao último estágio de desenvolvimento.

Resultados semelhantes foram obtidos com a borra de café. Em laboratório, quatro colheres de sopa de borra de café bloquearam o desenvolvimento de larvas mergulhadas no equivalente a um copo de água.

Em situações de epidemia de dengue, o método de combate mais usado contra a reprodução do mosquito é a aplicação de inseticidas, mas a maioria desses produtos é tóxica. Além disso, com o tempo, os mosquitos podem adquirir resistência a essas substâncias. A borra de café funciona como um inseticida natural e não faz mal para seres humanos, animais e plantas.



Olha só o recado do pessoal de Salvador, vamos fazer o mesmo!




Todos juntos poderemos vencer a dengue!





quarta-feira, 7 de março de 2012

Projeto do Ato Médico é aprovado na Comissão de Constituição e Justiça. Qual a sua opinião?




Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, em 08 de fevereiro de 2012, o projeto do Ato Médico, que regulamenta o exercício da Medicina e institui as atividades que são privativas dos médicos. A matéria, em discussão desde 2002 no Congresso, ainda seguirá para a Comissão de Educação e Assuntos Sociais, voltando depois para o Senado, antes de ir à sanção da Presidente Dilma Rousseff.


Por um lado, o Ato Médico vem regulamentar uma antiga reivindicação da categoria, delimitando legalmente o campo de atuação do médico. Por outro, colocava em risco o campo de atuação de outros profissionais da área da saúde. 
Após intenso debate durante a sessão, em um plenário lotado, foi aprovado sem modificações o texto do relator Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Mas Valadares cedeu em alguns pontos para aprovar a matéria integralmente. O relator, por exemplo, retirou do médico a exclusividade para realizar diagnósticos e exames que já são feitos atualmente por farmacêuticos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas.
O Projeto de Lei do Senado n. 268 de 2002 estabelece no artigo 4º as seguintes atividades como privativas dos médicos:


I – formulação do diagnóstico nosológico e respectiva prescrição terapêutica;

II – indicação e execução da intervenção cirúrgica e prescrição dos cuidados médicos pré e pós-operatórios;

III – indicação da execução e execução de procedimentos invasivos, sejam diagnósticos, sejam terapêuticos, sejam estéticos, incluindo os acessos vasculares profundos, as biópsias e as endoscopias;

IV – intubação traqueal;

V – coordenação da estratégia ventilatória inicial para a ventilação mecânica invasiva, bem como as mudanças necessárias diante das intercorrências clínicas, e do programa de interrupção da ventilação mecânica invasiva, incluindo a desintubação traqueal;

VI – execução de sedação profunda, bloqueios anestésicos e anestesia geral;

VII – emissão de laudo dos exames endoscópicos e de imagem, dos procedimentos diagnósticos invasivos e dos exames anatomopatológicos;

VIII – indicação do uso de órteses e próteses, exceto as órteses de uso temporário;

IX – prescrição de órteses e próteses oftalmológicas;

X – determinação do prognóstico relativo ao diagnóstico nosológico;

XI – indicação de internação e alta médica nos serviços de atenção à saúde;

XII – realização de perícia médica e exames médico-legais, excetuados os exames laboratoriais de análises clínicas, toxicológicas, genéticas e de biologia molecular;

XIII – atestação médica de condições de saúde, doenças e possíveis sequelas;

XIV – atestação do óbito, exceto em casos de morte natural em localidade em que não haja médico.

Ainda, o artigo 5º estabelece outros serviços privativos dos médicos:

I – direção e chefia de serviços médicos;

II – perícia e auditoria médicas, coordenação e supervisão vinculadas, de forma imediata e direta, às atividades privativas de médico;

III – ensino de disciplinas especificamente médicas;

IV – coordenação dos cursos de graduação em Medicina, dos programas de residência médica e dos cursos de pós-graduação específicos para médicos.



Fonte: Instituto Salus
            Agência Estado


O infoFisio gostaria de saber a sua opinião sobre a polêmica PL do ato médico. Deixe seu comentário abaixo.

Atenciosamente, 

Luan César Simões.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Meu perfil

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Mestre em Fisioterapia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE; Especialista em Fisioterapia Cardiorespiratoria; Graduado pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ. Atualmente é professor universitário, foi fisioterapeuta do Centro de Reabilitação da cidade de Araruna - PB e é Delegado do Conselho de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - Regional 1 na Paraíba. Trabalhou no Núcleo de Acolhida Especial do estado da Paraíba pela SEDH e foi pesquisador voluntário de grupos de pesquisa e estudos em saúde na Universidade Federal da Paraíba - UFPB.

infoFisio no Facebook

Seguidores

Visitas do mês

Qual seu estado?

Nos siga pelo Email

Contato:

Email: luancesar_01@yahoo.com.br

Blog Archive

Luan César Ferreira Simões. Tecnologia do Blogger.