terça-feira, 24 de maio de 2011

E aí doutor! Ei, espera aí, Fisioterapeuta é DR ou FT??

 Muito se fala a respeito do uso título nobre de doutor (Dr) pelos profissionais não médicos. Existe muita dúvida (e muita besteira) e pouca certeza (e objetividade nos fatos), se os próprios Fisioterapeutas não se aceitam como doutores e se autodenominam "FTs", o que os próprios pacientes (muitas vezes leigos) irão pensar? Não pesarão nada, pois está tudo de cabeça para baixo! 

Chega a ser absurdo a quantidade de fisioterapeutas que assinam o nome com tal abreviação, e o pior é que em muitas universidades essa prática também é corriqueira, ou seja, recém-formado ou não, o fisioterapeuta aprendeu erroneamente, diga-se de passagem a usar o bendito "FT" (FisioTerapeuta ???).

Se você é colega de profissão, não se diminua exportando abreviaturas não reconhecidas, como o FT. Assuma a postura e a responsabilidade que você suou para adquirir na universidade. E se for questionado a respeito aí vai o argumento:

A origem do termo doutor encontra-se na palavra latina doctor, que significa mestre ou professor, pertencente à família do verbo docere, cuja tradução é ensinar. Um doutor, considerando-se do ponto de vista estritamente etimológico da palavra, é aquele que ensina. Segundo os nossos atuais dicionários Aurélio, Houaiss e Michaelis, doutor, em suma, significa: aquele que cursou o doutorado; uma pessoa considerada muito culta, importante; todo o indivíduo formado em curso superior.

Segundo o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - CREFITO, o fisioterapeuta deve usar e apresentar-se como Doutor na sua atuação profissional com respaldo legal para tal, considerando o princípio da isonomia, da tradição cultural de nosso país e da sua fundamentação científica profissional. Alguns fisioterapeutas brasileiros usam a abreviação Ft. (fisioterapeuta) transcrita dos fisioterapeutas portugueses e originada do molde PT (physiotherapeutic) dos norte-americanos ao invés de usar o título Dr. A abreviatura FT. não é oficial no Brasil, e portanto não é reconhecida pelos CREFITO's e COFFITO.

RESPALDO LEGAL PARA O USO DE DOUTOR PELO FISIOTERAPEUTA:
O PRESIENTE DO CONSELHO REGIONAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DA 5ª REGIÃO – CREFITO-5
;
No uso de suas atribuições e competência prevista no inciso II, do art. 44, da Resolução COFFITO-6, tendo em vista o deliberado na Reunião de Diretoria, realizada em 23/10/2000, em consonância com a luta até então desenvolvida pelo Egrégio Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – COFFITO, e considerando:

1- A não existência do direito positivo brasileiro, consubstanciado na Lei n. 5.540 de 28.01.68, e no Decreto Lei n. 465 de 10.02.65, de preceitos legais disciplinando a concessão do título de Doutor;

2- Baseando-se em que o uso do título de Doutor tem por fundamento procedimento isonômico, sendo, em realidade, a confirmação da autoridade científica profissional perante o paciente;

3- Que o título de Doutor tem por fundamento praxe jurídica do direito consuetudinário, sendo de uso tradicionalmente aceito entre os profissionais de nível superior;

4- Que a praxe jurídica fundamentada nos costumes e tradições brasileiras, tão bem definidas nos dicionários pátrios, assegura a todos diplomados em curso de nível superior, o legítimo direito do uso do título de Doutor;

5- Que a não utilização do título de Doutor leva a sociedade e mais especificamente a clientela do profissional da área a que se destina assistência fisioterapêutica, pressupor uma inadmissível e inconcebível subalternidade, em se tratando de profissional de nível superior;

6- Que deve ser mantida isonomia entre os componentes da Equipe de Saúde e que o título de Doutor é um complemento, um “plus” na afirmação de um legítimo direito conquistado ao nível de aprofundamento em uma prática terapêutica com fundamentação científica;

7- A inexistência, na língua portuguesa e na legislação própria das expressões FT e TO, o que por lógico torna inadmissível a utilização de tais abreviaturas como identificação do profissional da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, respectivamente;

8- Que expressões outras que não Fisioterapia, dificultam e não identificam de forma clara e objetiva o profissional da Fisioterapia;

DECIDE: Recomendar aos Fisioterapeutas que na sua atuação profissional usem o título de Doutor, por se tratar de um direito legítimo e incontestável. Outrossim, decide ainda, não reconhecer as abreviações FT como identificadora do profissional da Fisioterapia.
E utilizando o nobre colega Geraldo Barbosa do 14-F Fisioterapia como referência, concluo:

"À guisa de lembrete: "Agr.", traduz-se por Agricultura; "Biol.", significa Biologia; "Filos.", Filosofia; "Med.", Medicina; e assim por diante, sem que venha a significar uma profissão ou título que a qualifique. Não nos parece correto, na lingua portuguesa, abreviar nomes próprios de profissões; se estivermos enganados, os Filólogos nos censurem e/ou nos consertem.

A utilização da abreviatura do título de doutor (Dr.) - no sentido já mencionado, de designar quem simplesmente se diplomou em uma universidade - por Fisioterapeutas, remonta ao início dos anos 60 do século passado, sendo portanto anterior ao Decreto-Lei Nº 938/69, com a finalidade de caracterizar um profissional cuja prática está ancorada na fundamentação científica. Nada mais justo, para ressaltar a formação universitária daqueles que lutam pela isonomia com as demais categorias profissionais da área da saúde."

8 comentários:

  1. Caro Luan,
    Parabéns pela postagem.
    Aproveito para agradecer a citação no seu prestigiado Blog.
    A luta continua!
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Na verdade verdadeira, doutor é quem tem doutorado... Nem médico que não tem deveria usar a titulação... mas por costume popular a coisa muda de figura...

    ResponderExcluir
  3. Meu Blog http://fisiofacts.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Obrigado pelo comentário Renata Soraya. Concordo com seu ponto de vista, mas vale lembrar que esse "título" de doutor vem de uma concepção meramente social, ou seja, tem uma atribuição relacionada a honraria, mérito..enfim. Já o título do doutorado se trata de um atributo científico onde qualquer profissional poderá obte-lo, sendo assim chamado de Professor Doutor.
    A discussão que propus foi sobre a diferenciação entre profissionais de saúde e, principalmente, sobre o uso indevido do FT.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. COncordo plenamente. Em termos de concepção social, temos uma carga cientifica tao grande quanto a de um médico, portanto, o titulo de Dr. é totalmente justo.

    Se médico, advogado e engenheiro sem titulo de doutorado usam o termo 'Dr.', sem nenhum problema.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luan!
    Excelente o seu post e muito válido para todos os fisioterapeutas, visto que muitos não tem conhecimento dessas informações disponíveis e garantidas pelo CREFITO.
    Antes eu tinha a mesma visão da Renata, mas a partir das informações por você apontadas é possível perceber que a história é outra e é bom divulgar bastante esse post para combater, de certa forma, a "hierarquia" entre profissionais impostas pela sociedade que é absolutamente inútil.

    Beijão, Giselle Kramer

    ResponderExcluir
  7. Luan, parabéns pelo conteúdo. Acho válida sua observação.

    Mas,segundo uma observação da nova gramática:
    "Doutor é título acadêmico e não forma de tratamento, sendo empregado apenas em comunicações dorigidas a pessoas que tenham concluído cursos de doutorado".

    Não vejo necessidade de assinar drª, uma vez que não tenho doutorado. Mas vejo a importância de defender a fisioterapia (que é tão importante quanto qualquer outra profissão). Devo mostrar aos usuários ou não da fisioterapia que o importante não é como assino e sim como atuo. Até mesmo porque para os pacientes quem está de jaleco é doutor (costume que já vem antes mesmo de nascer a fisioterapia)

    Abraços,
    Letícia
    leticiasateles@gmail.com
    PS. comentei como anônimo por não ter conta no blog

    ResponderExcluir
  8. o problema dr.luan é que essa resolução foi retirada do coffito ( pelo menos tento procura e não acho ) o proprio cofitto nos enfraquece pois ele esta deixando cursos livres e pós graduaçoes e especializações sem proteção legal ( verificar resolução 32/07 e resolução 360 /2008 ).
    um forte abraço.
    Dr. Marcelo Muniz

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Meu perfil

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Mestre em Fisioterapia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE; Especialista em Fisioterapia Cardiorespiratoria; Graduado pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ. Atualmente é professor universitário, foi fisioterapeuta do Centro de Reabilitação da cidade de Araruna - PB e é Delegado do Conselho de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - Regional 1 na Paraíba. Trabalhou no Núcleo de Acolhida Especial do estado da Paraíba pela SEDH e foi pesquisador voluntário de grupos de pesquisa e estudos em saúde na Universidade Federal da Paraíba - UFPB.

infoFisio no Facebook

Seguidores

Visitas do mês

Qual seu estado?

Nos siga pelo Email

Contato:

Email: luancesar_01@yahoo.com.br

Blog Archive

Luan César Ferreira Simões. Tecnologia do Blogger.